Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Seqüestraram o cabeleireiro também

Alguns pontos unem O Plano Perfeito a Firewall. Alguém quer roubar um banco e o roteiro tenta ser espertinho pra não cair nas mesmas historinhas de roubo que já foram feitas e acaba repisando vários clichês. Só que, enquanto Plano Perfeito tem um início promissor, um meio completamente dispensável e um final bem bacana, Firewall tem um começo risível, um meio muito bom, e um final de vomitar na latinha.</p>

firewall2.jpg

A sinopse de Firewall que está no site do GNC (sim, eu vi lá, mas era de graça) é genial, embora não seja lá muito verdadeira:

Especialista em informática (Ford) é forçado a roubar o próprio banco para o qual ele criou um sistema ultramoderno de segurança, pois essa era a única forma de conseguir o dinheiro suficiente para pagar o resgate de sua família seqüestrada por um insano (Bettany).

Realmente, Paul Bettany tem cara de insano... quietinho, bonitinho, mas um bastardo assassino. Ele é a única pessoa com cabelo no filme que não tem um penteado ridículo. Harrison Ford, além de tentar não parecer o avô de seus filhos, ostenta um cabelinho filha da puta. Mas, na ala masculina, nada pior do que a peruca de Robert Forster. Já entre as mulheres, a secretária, com seu penteado meio anos sessenta em Plutão, ganha o prêmio.

Nunca ouvi falar do diretor, um tal Richard Loncraine. Ele consegue fazer um filme médio com cara de médio, isso pode ser bom, dependendo do prisma. Prefiro isso do que Spike Lee fazendo um filme médio fingindo ser grande coisa.

Só o merchandising já deve ter coberto grande parte dos custos de la película. As pessoas ficam usando Windows em PCs Dell enquanto falam "preciso do Ipod da minha filha".

As legendas usam ponto-e-vírgula aleatoriamente, no lugar de qualquer outra pontuação. É bastante engraçado. É engraçado também o início, antes do seqüestro, quando todo mundo tenta ser sério trabalhando num banco, falando de grandes negócios, e tudo acaba ficando bobo.

firewall.jpg

Ah, e Virginia Madsen, que para mim nunca passou de uma figurante com falas (e já concorreu ao Oscar, veja só, acho que eu implico com ela), tem ótimas cenas. Especialmente no momento em que é forçada a falar no telefone e sua expressão facial muda completamente em menos de um segundo quando o cara encosta o revólver na cabeça dela. Muito bom!

Qual motivo para ver o filme? Eu digo: provavelmente nunca mais você terá a oportunidade de ver um astro do cinema matando alguém COM UM COPO DE LIQÜIDIFICADOR.

</font>

3 comentários

Comentar post