Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Michael Jackson é assunto - Mallika, Daphne e Grace

No sábado seguinte à morte de Michael Jackson, o Times de Londres publicou uma espantosa entrevista com a ex-babá dos filhos do cantor, Grace Rwaramba. Espantosa não só por causa de seu conteúdo inimaginável, mas pela casualidade de a babá estar hospedada junto com a repórter na cidade, já preparando uma matéria que sairia mais tarde, provavelmente por ocasião dos shows de MJ, quando Michael morreu (a entrevista começa mesmo descrevendo como a babá adentrou o bar onde estava a jornalista, gritando “Daphne, Daphne, Michael is . . . Michael is . . . dead!”).

Eu li a entrevista no site do jornal e resolvi salvar para consultar depois. Fiquei surpreso ao tentar encontrar on line o texto alguns dias depois e não conseguir encontrar, e tudo o que linkava à reportagem não funcionava.

Como eu achei a entrevista interessantísima e queria dividir com os interessados, resolvi postá-la aqui no blog, para alguém que por ventura procurasse pudesse encontrar.

Agora que vim fazer isso eu soube de coisas.

A entrevista fez vozes levantarem contra a titude da babá, de expor daquele jeito a vida do artista que ela ajudava a preservar até algumas semanas antes (ela trabalhou para MJ por 17 anos). Acusaram-na de oportunista, gananciosa, exploradora, apontaram o dedo dizendo que ela obteve dinheiro da jornalista para conceder a entrevista etc.

Pois eis que vem Mallika Chopra e muda o contexto. Neste texto, a autora, que é filha de um amigo de Michael Jackson e amiga de Grace Rwaramba, descreve o que aconteceu: a má fé da jornalista Daphne Barak, e ingenuidade da entrevistada. Chopra fala da descontextualização de declarações e da invenção de outras, como o famoso trecho em que a babá diz que massageava o estômago de MJ quando ele tomava remédios demais (mais tarde, a babá declarou: "I am shocked, hurt and deeply saddened by recent statements the press has attributed to me, in particular, the outrageous and patently false claim that I 'routinely pumped his stomach after he had ingested a dangerous combination of drugs.' I don't even know how to pump a stomach!!"), além do mal caratismo (pelo que se depreende das situações descritas) da "vampira sugadora de celebridades" Daphne Barak, como a define um outro jornalista, Roger Friedman (o mesmo que foi demitido da Fox por ter feito uma crítica do filme Wolverine baseado em uma cópia pirata, mas isso é outra história).

Em vista disso tudo, agora eu desconsidero a entrevista publicada pelo Times. Mesmo que a maioria das coisas que a tal Daphne escreve tenha sido dito pela babá, agora tudo ficou sob suspeita e perdeu a graça.

E por que estou falando de Michael Jackson, e não do meu vizinho ou da minha avó? Recomendo a leitura deste texto: Michael who?