Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Pouco justus

Em quatro temporadas, só uma vez eu havia assistido ao Aprendiz. E não havia gostado, claro. Aquelas pessoas tão publicitárias, tão administradoras, tão pró-ativas, tão empreendedoras, tão leitoras de Quem mexeu no meu queijo?, não me dão o mínimo tesão.

Contudo, ontem estava eu a assistir Vidas Opostas e iniciou o programa. E aquilo vai muito rápido e de repente eu estava por dentro do que ia acontecer e achei interessante. Foi assim: os três últimos participantes foram levados para Santos, disfarçados e com câmeras escondidas. Cada um deles em separado deveria juntar o máximo de dinheiro possível em dois dias. E para isso eles não tinham nada, a não ser o corpinho.

Infelizmente, nenhum teve a idéia de se prostituir, mas foram oferecer serviços e pedir empregos em lugares vários. Era época de dia dos namorados e dois deles acabaram fazendo entregas para floriculturas e arrecadaram uma graninha.

Mas a vencedora foi a candidata que teve a idéia de vender doces. Simplesmente ela pediu uma caixa de doces numa loja, daqueles que meninos sujinhos vendem em sinais de trânsito. Como não tinha como pagar, deixou a carteira de identidade como garantia de que iria voltar. E ela vendeu tudo, arrecadou 30 reais, foi na loja, pagou e pegou outras caixas e nos dois dias conseguiu mais de duzentos reais.

Isso me lembrou da minha primeira semana na faculdade. O trote. Nossa turma toda pintada foi levada a um cruzamento na Avenida Ipiranga para pedir dinheiro aos motoristas. Coisa completamente besta e inútil, mas eu participei com algum gosto. Até que me revoltei e fui embora. Motivo: os motoristas davam dinheiro para a gente, recém chegados a uma universidade, visivelmente de classe média, quase todos brancos, mas ignoravam o menino negro que pedia trocados (ou vendia balas de goma), ali na mesma rua. Eu não precisava de modo algum daqueles 10 ou 15 reais que eu consegui. Ele provavelmente dependia daquilo para comer. E ninguém abria o vidro do carro quando ele chegava perto.

Bom, mas Roberto Justus acabou eliminando a candidata sobre a qual falaram bem o programa todo, e passou para a final aquele que ficou em último lugar na prova. Detestei. Não verei outras vezes.