Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

o ano que já terminou

Acaba-se, então, 2005. Para mim, foi um ano bastante marcante, por uma miríade de motivos. Já no início, estava eu competamente aturdido, estressado, preocupado e insone por causa de minha banca de monografia e, um mês depois, por causa de minha formatura. Se eu fosse gordo teria perdido uns quilos. Mas, graças aos poderes de Greyskull, tudo foi relativamente bem e consegui passar por tudo sem ter um enfarto fulminante.

Foi o ano em que eu resolvi que deveria namorar. Saído da faculdade, jornalista diplomado, queria colocar minha vida pessoal nos eixos. Nesse caso, nada deu certo. Me apaixonei como a barata se apaixona pelo ralo da pia, mas não fui correspondido da maneira que eu desejava. Daí, advieram alguns problemas, como discussões, incomodações, tristeza, mas também alegria, amizade, paciência e, mais importante, uma valorosa experiência adulta pela qual eu ainda não havia passado.
Em contrapartida, se o desejado namoro não decolou, a vida sexual deu uma enorme melhorada em comparação aos outros anos. Isso foi ótimo, com certeza, mas nem tanto. Por um lado foi bom, pelo outro também, por cima, então, nem se fala, mas se for pensar qualitativamente, poucas relações valeram realmente a pena.

Pelo viés cultural, foi um ano de poucos livros, confesso, mas de muito cinema. Fui à sala escura por volta de 40 vezes devido, boa parte, ao começo de meu trabalho como pseudo-crítico. Fui ao teatro algumas vezes, o que eu não fazia com nenhuma regularidade; fui a bastantes shows; fui, finalmente, ao Sarau Elétrico; comecei a estudar espanhol; freqüentei cafés (algo que eu, como pessoa do interior, nunca tive costume de fazer). Foi também em 2005 que eu coloquei meu blog no ar e passei a escrever aqui com freqüência, o que só me trouxe coisas boas.

Profissionalmente, saí da faculdade e me fudi. Sem emprego, fiquei meses procurando algo para fazer, com todos os problemas financeiros e emocionais que isso traz. Só em outubro as coisas deram certo e eu passei a trabalhar sem parar por 45 dias, o que me rendeu altos dividendos - quase todos gastos em dívidas e no supermercado. Agora já sou um fotógrafo com algum currículo e posso desprezar todos os estagiários do planeta.

Foi um ano em que eu conheci pessoas, travei amizades, fiz contatos, fui a lugares interessantes, experimentei mussarela de búfala e entrei pro SPC. Foi o ano em que aprendi a mexer no Photoshop, o ano em que meu projeto de ter uma banda tornou-se bastante concreto e, logo depois, bastante abstrato.

Acaba-se, então, 2005. Se eu pudesse vivê-lo de novo, modificaria 50% das coisas. Até que não foi tão ruim.