Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Línguas ardentes

Às vezes as pessoas abusam de mim e ficam falando sem parar. Já notaram como tem gente que fala descontroladamente? Sempre fui atacado por gente assim. A começar por minha família: minha vó paterna, minha mãe, algumas de minhas tias. Falam, falam, falam... Mas, fora do ambiente familiar, também, parece que eu atraio. No ônibus, na rua, na fila, geralmente tem alguém que puxa conversa e não solta.

Quando eu morava na pensão que eu morava, lá na zona leste aqui em Porto Alegre, a dona era uma dessas pessoas. Começava a falar e não parava nunca mais, geralmente mentindo terrivelmente sobre tudo. Uma vez foi morar lá a Ester, que fazia flores a partir de garrafas pet e vendia na redenção (era um belo trabalho) Ela tinha idéias interessantes, mas de vez enquando desembestava a falar e me perseguia pela casa dizendo coisas que não me importavam minimamente.

Agora que passei uns dias no interior, fui vítima outra vez. Minha mãe conversava demais, mas até sobre coisas que me diziam respeito (ou não), minha vó só falava de doenças (a perna inchada, o dente inflamado etc etc etc etc...), minha madrasta resolveu fazer projetos para sua vida dirigindo palavras a mim por duas horas, sem me deixar tomar banho, e meu irmão, que geralmente é quieto, não perdeu a oportunidade pra contar mil coisas, perguntar outras mil e comentar sobre televisão enquanto eu assistia.

Andando com a cadela Malu, em Pelotas, um homem me perguntou se ela era big, como não entendi o que isso significava (e não entendo), disse que não e ele veio com centenas de causos sobre cachorros que mataram criancinhas. Já em Rio Grande, enquanto fotografava a Igreja do Carmo, um homem parou para me contar a história do prédio, enquanto eu tentava fugir.

Sempre que eu ia em psicólogo, fonoaudiólogo, dermatologista etc, todos contavam suas vidas para mim, às vezes aos poucos, às vezes em uma sessão só.

Não estou dizendo que não gosto que falem comigo. Eu gosto. (Às vezes tem quem eu quero que fale mais, mas não fala.) Mas vou citar Charlie Kauffman, roteirista de Brilho Eterno de uma mente sem Lembranças: "Falar sem parar não é se comunicar".

E não faz chapinha

Esta é a Igreja Episcopal do Redentor. Também chamada Igreja Cabeluda. Fica no centro de Pelotas e é muito interessante. Na primavera e verão fica verde, no outono fica avermelhada, no inverno perde todas as folhas e fica cinza.

cabeluda.jpg