Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Talvez a ilha exista

Os produtores de A ilha, completamente transtornados com o fracasso de seu filme multi-milionário, deram entrevista atirando para todos os lados, na tentativa de encontrar uma explicação razoável para as baixas bilheterias. Entre outras coisas eles culpam o título, que se refere a algo que não existe nem nunca aparece no longa (eu concordo, sempre achei estranho esse título). Um deles (é um casal, responsável também por Homens de Preto e Gladiador), disse: "parece sem importãncia, mas do título vem toda a campanha publicitária, vem a idéia que as pessoas têm sobre o que vão ou não vão ver, então isso foi um problema".

Outro erro apontado foi a divulgação, inclusive no trailer, de muitos dos pontos mais legais da história. Se você vê o trailer do filme (e ler a maioria das críticas - inclusive a minha), vai receber um monte de informações que se não fossem reveladas seria muita mais bacana. Isso é um problema, mas não tem como não acontecer, porque a parte misteriosa da película é só durante os primeiros 30 ou 40 minutos, onde os segredos são revelados, depois vira um filme de ação e correria. Como poderia-se divulgar ou escrever sobre ele sem dizer que os caras são clones que vivem numa mentira e, quando descobnrem, fojem pra tentar revelar ao mundo?

Já sem ter o que fazer, eles culpam a dupla central, Ewan McGregor e Scarlett Johansson, porque eles não seriam estrelas e não se conectariam com o público-alvo, os jovens. Sacaneando completamente a Scarlett, dizem: "até a menos importante atriz da televisão teria mais identificação junto ao público". É algo meio chato de dizer, porque ela é uma baita atriz (e faz bonito no filme), mas eu concordo. Não dá pra fazer um blockbuster com uma atriz de filmes sérios e/ou intelectuais. Ela já concorreu ao Oscar, mas o casal de adolescentes comendo pipoca e abrindo latas de refrigerante quer ver a Sandra Bullock fazendo beicinho, ou a Lindsay Lohan fingindo que sabe andar de skate (como ela finge, muito mal, no Herbie), não uma boa atriz ou um bom ator tendo um desempenho interessante no meio dos tiros.

Scarlett se pronunciou, xingando os produtores e dizendo que não querem assumir sua responsabilidade pelo marketing equivocado e ainda fala que tem orgulho do seu desempenho no filme.

Bom, os produtores culpam todos, menos Michael Bay, o diretor. Parece que com ele tudo foi perfeito, e não é bem assim. Ele e o roteiro, escrito pela mesma dupla que escreve Missão Impossível 3, são responsáveis pelo errôneo direcionamneto do tema polêmico e perturbador. Se fosse um filme levado a sério, dirigido sabe-se lá por quem, mas que desse alguma credibilidade à história, creio que teria funcionado.

Aliás, sobre o roteiro sugiiu algo esquisito: produtores de um suspense de 1979, The clonus horror (aqui chamado de Romance ou Pesadelo) acusam A Ilha de plágio. E pelo que li, a primeira metade do filme é muito igual ao filme antigo. O tal de Casper  Tredwell-Owen , autor do argumento e da primeira versão do roteiro, enganou todo mundo direitinho.