Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Felizes flores na janela

flowerwindow.jpg

Gosto de músicas tristes. Elas dizem coisas que às vezes a gente não diz por nós mesmos. E ficamos tocados porque alguém colocou tal sentimento em verso e está cantando no rádio pra gente. Mas também gosto de músicas alegres. E essas são difíceis de encontrar. Faz-se mais músicas melancólicas, certamente.

Como uma homenagem a quem conseguiu colocar em letra e melodia sentimentos felizes, para balançar o pé de quem escuta, vou começar a fazer um inventário de boas músicas alegres. Já falei aqui certa vez (em 17 de abril) de Todos estão surdos, do Roberto Carlos, que me deixa bem quando a escuto. Hoje cito, então, uma canção do Travis, apresentada a mim pelo Rafael, já que eu desconhecia Travis além daquela musiquinha em que sempre chove em cima do cara (Why does it always rain on me?).

Flowers in the window é uma singela (sim, singela) música celebrando um amor que dá certo. Juntos, ele e ela (ou ele e ele) ficam olhando as flores na janela crescer. Faz parte do álbum The invisible band, que contém também a bacaninha Sing. Eis uma parte da letra:

Wow look at you now
Flowers in the window
It's such a lovely day
And I'm glad you feel the same
So just stand up, up in the crowd
You are one in a million
And I love you so
Let's watch the flowers grow

There is no reason to feel bad
But there are many seasons to feel glad, sad, mad
It's just a bunch of feelings that we have
To hold but I am here to help you with the load

Apertaram a bunda dele

PeteDoherty_Live8_M.jpg

Pete Doherty, o cara que cantou com o Elton John no Live 8, dizem, esqueceu a letra da música e ficou cambaleando no palco (sinceramente eu não percebi). Numa entrevista ele disse que não estava chapado, mas ficou assim por causa da Peaches, filha do Bob Geldof:

"Eu não me perdi com as palavras e eu não estava fora do ar por causa das drogas. É que, antes que eu subisse ao palco, Peaches apertou meu traseiro e sussurrou algo mais do que sugestivo pra mim. Aquilo me deixou tão em choque que eu não sabia mais onde eu estava. Bob Geldof tinha organizado esse fantástico evento global, eu estava encarando 210 mil pessoas, as câmeras rodando e a porra do Elton John estava cantando junto comigo. E a filha de Bob passa a mão em mim. É tudo que eu consigo pensar."