Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

obnubilado

Blog que ainda existe, apesar do tempo.

Infernal

nandoreis.jpg
Nando Reis ontem, no Cine-theatro, aqui em Porto Alegre.Há tempos não ia num show grande. Bom, nem foi grande, foi médio. Tinha (chutando) umas 800 pessoas. Casa lotada. um calor infernal. E ler isso pode passar despercebido, mas o fato é que o calor estava infernal realmente. Saí de lá encharcado de suor,e eu nem costumo suar. Suei e fiquei com torcicolo, porque cheguei em cima da hora, fiquei no fundo, com 4 cabeções na minha frente. Sinto pena de quem é baixo...
Sorte que eu fiz meu dever de casa e decorei várias músicas que eu não conhecia. Lindas músicas, aliás, como Luz dos Olhos e All Star. Mesmo assim me senti perdido em algumas partes do show,quando ele e sua banda, Os Infernais, inventavam de tocar umas músicas desconhecidas (a apatia da platéia era visível nessas horas). Aliás, devem ter tocado todo o repetório da vida deles, porque o show iniciou às 20:20 e terminou às 23:15. Três horas de show. Ninguém esperava por isso. As pessoas saíram esgotadas, estressadas e todas molhadas. Mas pelo menos valeu os R$ 30,00 da entrada.
Além das músicas desconhecidas (o que ele disse ser o "lado dark" da apresentação), não ficou legal o peso de alguns arranjos. Parecia show de heavy metal em alguns instantes. E ficou pior porque a qualidade do som nesses momentos não era das melhores. Ficava um barulhão indecifrável e cansativo. O que favorecia a conversa dos grupinhos de amigos. Grupinhos esses que sempre me incomodam, porque perdem a noção do ridículo. Mas não vou falar sobre pessoas idiotas.
Nando Reis, grande letrista. Relicário é maravilhosa.



Relicário

É uma índia com um colar

A tarde linda que não quer se pôr

Dançam as ilhas sobre o mar

Sua cartilha tem o a de que cor?



E são dois cílios em pleno ar

Atrás do filho vem o pai e o avô

Com o gatilho sem disparar

Você invade mais um lugar

Onde eu não vou


Sobe a lua, porque longe vai

Corre o dia tão vertical

O horizonte anuncia com o seu vitral

Que eu trocaria a eternidade por esta noite


Quem nesse mundo faz o que há durar

Dura a semente dura o futuro amor

Eu sou a chuva pra você secar

Pelo zunido das suas asas você me falou


O que você está dizendo?

Milhões de frases sem nenhuma cor

O que você está dizendo?

Um relicário imenso desse amor



(música de Nando Reis)